DestaqueNegóciosNova Economia

Zeppone investe mais de R$ 1,5 milhão em sustentabilidade

O Grupo Zeppone, nova estratégia da tradicional indústria alimentícia paranaense Polpanorte, dedicada ao processamento de polpa e produção de cremes, sorbets de açaí e frutas congeladas, investiu mais de R$ 1,5 milhão em sistemas de engenharia voltados à preservação ambiental, incluindo ações de reuso, reciclagem e redução de resíduos, além da otimização dos recursos hídricos e de energia elétrica. O aporte é resultado da política de trabalho da companhia e está alinhado às premissas de qualidade total na linha de produção e sustentabilidade, além de garantir a segurança das operações. 

Entre os projetos estão a utilização do caroço de açaí como fonte de combustível para alimentação da caldeira, evitando uso de madeira, bem como o emprego de cascas de frutas oriundas do processo de fabricação, que são reaproveitadas para alimentação animal. Há ainda ações que conferem a melhoria da utilização de água nos processos, como aproveitamento de águas da chuva, e a implantação de um sistema de flotação para tratamento de efluente e irrigação do plantio de açaí, que resultaram em uma economia de 18% do consumo de água em 2021. “São ações que estão plenamente alinhadas com nossa política ambiental de promover o desempenho sustentável do negócio, respeitando a comunidade local e o ambiente onde estamos inseridos”, disse o engenheiro ambiental e especialista corporativo do Grupo Zeppone, Vitor Ricci.

O conglomerado, que detém a mais moderna indústria de açaí no mundo, instalada em Benevides (PA), em uma área de aproximadamente 200 mil metros quadrados, resultado de um investimento de R$ 30 milhões, também mantém premissas de sustentabilidade com sua matéria prima principal, o açaí, que é obtido fresco exclusivamente junto à população ribeirinha e de cooperativas de ribeirinhos do Pará, que realizam o extrativismo sustentável, reduzindo o impacto ambiental e favorecendo comunidades inteiras que dependem desta atividade. “Nos preocupamos com o resultado de nossos produtos desde a origem, incentivando a agricultura familiar e extrativista, passando pelo transporte do fruto até o processamento em nossa fábrica, que foi construída em um conceito de estrutura asséptica e automatizada, garantindo a qualidade da nossa polpa de açaí. Além disso, a fábrica, em seu primeiro ano de produção, já obteve a certificação orgânica, que ratifica nossas práticas sustentáveis”, explica o gerente Industrial Corporativo, Rogério Bessa.

A planta industrial de Benevides (PA) com capacidade de processamento de 20 mil latas de produtos de açaí por dia tem potencial para dobrar a produção, incluindo as outras linhas que atualmente são produzidas na fábrica localizada em Japurá (PR). Em 2021, o grupo produziu mais de 25 milhões de quilos de produtos, incluindo sorbets de açaí, frutas congeladas, polpas e cremes. Para este ano, a estimativa é crescer a produção do grupo em, no mínimo, 30%. “Além de estar de acordo com as premissas de sustentabilidade, mantendo nossa responsabilidade com o entorno de nossas operações, mantemos nossas metas de crescimento alinhadas com a nossa estratégia de mercado”, finalizou Bessa.

Sobre o Grupo Zeppone

O Grupo Zeppone é a nova estratégia da tradicional indústria alimentícia paranaense Polpanorte, dedicada ao processamento de polpa e produção de cremes, sorbets e frutas congeladas. Com quase 30 anos de mercado, é detentora das marcas nacionais ‘Frutuá’, ‘Origem Açaí’ e ‘Polpanorte’, e das linhas de exportação ‘Origem Açaí’, ‘Origem Frutus’ e ‘Origem Gelato’. O Grupo conta com duas fábricas: uma localizada em Japurá, Paraná, e outra em Benevides, no Pará, uma planta com mais de 200 mil m², considerada a mais moderna indústria de açaí do mundo – resultado do investimento de cerca de R$ 30 milhões. Atualmente, atua em todo o Brasil, exporta para Europa (Portugal) e América do Sul (Bolívia e Paraguai), além de planos de expansão para outros países.

You may also like

More in:Destaque

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.