Quais dificuldades o outono pode trazer para a saúde dos pets?

8 min. leitura

No Brasil, o outono começa entre 20 e 21 de março e acaba entre 20 e 21 de junho.  Durante esses quatro meses, mesmo que no começo o clima seja ameno, a temperatura começa a decair até a chegada do inverno. 

A principal característica dessa meia-estação é a queda das folhas das árvores, e, além disso, os períodos de chuva diminuem, os ventos aumentam, assim como a duração da noite. 

Mas, afinal, como ficam os nossos pets em relação às mudanças? 

Depende da estação, mas eles sentem mais diferença quando nos extremos de temperatura, portanto, muito calor ou muito frio, e em dias de mudanças bruscas. Nesse caso, aqueles dias em que saímos com roupas leves, e no outro, precisamos de calça e casaco. 

Neste artigo, falaremos sobre quais problemas de saúde ocorrem com a chegada do frio, que começa no outono, e o que podemos fazer para evitá-los. 

Quais doenças podem acometer nossos pets nesse friozinho?

Gripe canina

A gripe também afeta nossos bichinhos, e assim como nós, ela é bem mais comum no frio. Sobre os sintomas, o nome “gripe” não é à toa, pois são bastante parecidos com a enfermidade que nos acomete. 

  • coriza;
  • tosse; 
  • perda de apetite; 
  • apatia;
  • febre. 

Conforme explica o veterinário Raymundo Chavez Neto, em entrevista ao G1, a gripe canina pode acontecer em qualquer época do ano, mas são mais comuns quando a temperatura diminui. Isso porque, as mudanças súbitas prejudicam o sistema imunológico, tornando-os mais “convidativos” ao vírus. 

Atenção: a boa notícia é que o tutor pode protegê-los contra a enfermidade, vacinando seu pet contra ela. O melhor remédio sempre será a prevenção, portanto, a partir dos 80 dias (cães) e 45 dias (gatos), eles podem receber a dose, a qual precisa ser reforçada conforme orientação profissional.  

pets

Hérnia de disco

Outro problema de saúde comum entre bichanos e humanos é a hérnia de disco. Nesse caso, ele é um pouco mais complicado se comparado à gripe, por se tratar de uma doença degenerativa a qual atinge pescoço e coluna. 

Essas duas regiões são essencialmente necessárias para a locomoção, mas igualmente para a qualidade de vida em geral. Por isso, procure ajuda profissional se notar qualquer um desses sintomas: 

  • alteração na postura; 
  • fraqueza nas patas;
  • relutância aos passeios e brincadeiras (caso não houvesse situações de resistência anteriores);
  • dores em ambas as regiões; 
  • incapacidade motora;
  • dificuldade de locomoção e movimentação;
  • apatia, lentidão. 

Asma

A asma é uma preocupação a mais quanto ao trato respiratório dos pets, principalmente quando sabemos dos perigos da doença em seres humanos. Sem o tratamento adequado, os danos podem ser bem graves. 

A médica veterinária Flávia Camargo Oliveira cita que a asma resulta em sintomas semelhantes aos da gripe, mas a respiração é mais afetada, e fazendo com que eles: 

  • respirem pela boca;
  • fiquem ofegantes com o mínimo de esforço físico;
  • espirrem com frequência;
  • passem a ficar com gengiva azuladas ou pálidas; 
  • além dos sintomas gripais como perda de apetite, letargia, e tosse. 

Ao detectar esses sinais, o dono levá-los ao veterinário o mais rápido possível, até porque, o tratamento da asma só é totalmente eficaz com a descoberta da causa exata dela: poluição? Pólen? Substâncias químicas? Até o diagnóstico final, isso pode levar algum tempo. 

Rinotraqueite e cinomose

rinotraqueite é uma doença que acomete os gatos e é comumente chamada de gripe felina, embora o especialista Dr. Bruno Saito diga que essa denominação não é a mais correta. 

O motivo, nesse caso, é devido à causa ser resultante da ação de diferentes agentes, os quais não são iguais aos da gripe humana. Apesar disso, o nome ficou popular pelos sintomas: 

  • secreção nasal; 
  • espirros; 
  • apatia;
  • febre;
  • falta de apetite
  • conjuntivite;

Já a cinomose, é exclusiva aos cães, e se trata de uma doença viral (por isso, é mais comum em temperaturas baixas) altamente preocupante, por afetar os sistemas respiratório, neurológico e gastrointestinal. 

Além disso, ela é uma doença incurável, e, apesar do tratamento para melhorar a qualidade de vida dos cachorros, as sequelas ficam com eles para sempre.  

Dependendo da fase da cinomose, os sintomas são: 

  • bolhas de pus em regiões como abdômen, patas e focinho;
  • diarreia e sangue nas fezes; 
  • febre;
  • fraqueza;
  • secreção nasal; 
  • tosse com catarro;
  • pneumonia; 
  • tremores;
  • falta de coordenação motora;
  • convulsões. 

Mais uma vez, a vacinação é de extrema importância. Para essa doença grave, ela está liberada a partir de 45 dias do filhote, com três reforços em intervalos de 20 a 30 dias.

Dores articulares

Alguma vez você já sentiu dores nas mãos, nos pés e até mesmo no rosto, em dias muito frios? Isso ocorre porque em temperaturas mais baixas, as articulações diminuem a amplitude dos movimentos. 

Nos pets, as dores articulares são igualmente comuns nessa época do ano. A osteoartrite, por exemplo, é uma doença articular que causa desgaste na cartilagem, dor e inflamação. 

Além dela, a artrose é outro problema de articulação causadora de dores e inflamações, e de preocupação por parte dos tutores, uma vez que prejudica a qualidade de vida dos pets. 

Os sinais para ambas as enfermidades são: 

  • sensibilidade e agressividade ao ser tocado nas regiões articulares;
  • diminuição na amplitude dos movimentos;
  • dificuldade na locomoção;
  • resistência aos exercícios físicos (brincadeiras e passeios); 
  • estresse;

Displasia coxofemoral

A displasia coxofemoral é uma condição que afeta o quadril dos pets, mais precisamente, uma frouxidão das articulações dessa região. Desse modo, é como se o cão andasse e o fêmur desencaixou da pelve, como explica a médica veterinária Marcella Eboli Vilhena. 

O resultado, é inflamação, dor e má circulação sanguínea nas pernas e patas. Quanto aos sintomas, eles são: 

  • dificuldade em caminhar;
  • mancar;
  • andar como se estivesse “rebolando”;
  • dificuldade em subir escadas, no sofá, cama, etc., de demais locomoções. 

O que pode ser feito para cuidar melhor deles nesse período?

  • Mantê-los sempre bem aquecidos;
  • evitar sair com cães e gatos em dias com vento forte;
  • durante o dia e a noite, não expô-los somente aos ambientes abertos;
  • manter a vacinação sempre em dia;

A vacinação salva-vidas e mantém a qualidade delas, assim confiar em profissionais de um Hospital Veterinário 24h, sempre dispostos a atender seu melhor amigo, em qualquer hora e situação. Afinal, as consultas veterinárias regulares são tão importantes quanto as vacinas. 

MARCADO: , ,
Deixe um comentário
Cadernos
Institucional
Colunistas
andrea ladislau
Saúde Mental
Avatar photo
Exposição de Arte
Avatar photo
A Linguagem dos Afetos
Avatar photo
WorldEd School
Avatar photo
Sensações e Percepções
Marcelo Calone
The Boss of Boss
Avatar photo
Acidente de Trabalho
Avatar photo
Prosa & Verso