CulturaMúsicaSobe o Som!Vitor Santos

Plataforma digital de música Spotify revolucionou o mercado mundial

Pois bem, a tecnologia dentro do cenário musical está em constante mudança isso com veio com os canais de streaming. O principal deles, é o Spotify, canal de música mais usado no mundo. O aplicativo não é o inventor do streaming de áudio, mas segundo especialistas do mercado foi o que atingiu um nível de grande relevância no cenário da música digital.

Números exorbitantes provam que a plataforma Spotify é um fenômeno, o grupo companhia que já tem mais de dez anos de existência possuindo números respeitáveis: são 180 milhões de usuários ativos, com mais de 40 milhões de canções no acervo e € 10 bilhões pagos em royalties. Um verdadeiro império musical.

A história da empresa começou no ano de 2006, tempos em que muitos ainda não acreditava nessa evolução onde a ideia de streaming de música era comparada como uma loucura arriscada. Nesse tempo a pirataria de música era muito forte naquele período e as alternativas legais pesavam no bolso ou eram deveras limitadas.

Tudo começou com um jovem chamado Daniel Ek aprendeu a tocar violão e a cantar quando criança por influência dos avós. Mesmo tendo talento para ser artista o rapaz não escolheu a carreira de músico, o mesmo visionava isso para o futuro. Com 14 anos, e uma inteligência diferenciada, o mesmo era um programador bem habilidoso, onde começou trabalhar com desenvolvimento de sites importantes onde conseguiu ganhar muito dinheiro.

Com falta de experiência para ser empresário Daniel Ek recebeu um aviso do governo da Suécia dizendo que ele devia muito dinheiro em impostos. Simplesmente o rapaz não tinha uma visão somente habilidades para criar, e para não ir à falência ele resolveu vender algumas empresas que tinha conquistado.

No meio de conquistas e percas, Daniel Ek acabou se aproximou do amigo e sócio Martin Lorentzon, esse empresário sueco que comprou empreendimentos de EK. Até hoje considerado o mentor do jovem. Com muitas conversas entre os dois, surgiu a ideia de criar o Spotify. O nome do projeto é uma junção das palavras “spot” e “identify”. A intenção do projeto era criar algo que fosse mais atraente do que a pirataria, ou seja, que convencesse o usuário em pagar por um serviço de música traria mais benefícios do que simplesmente baixar conteúdo.

Nessa época a pirataria de música era muito forte e as únicas alternativas legais pesavam no bolso dos artistas. Por isso muitos tinham que recorrer a serviços como iTunes para comprar músicas, por exemplo, e nem todo mundo tinha essas condições.

As plataformas de streaming já existiam, mas não tinham uma eficiência positiva, possuindo um acervo pequeno e restritas para determinados países, como os Estados Unidos por exemplo, berço de grandes artistas.

Os sócios sabiam que viram aí uma oportunidade única para mudar o cenário já consolidado: de um lado os usuários que pirateavam porque não existiam até então um jeito melhor de conseguir música; por outro lado da história, uma indústria que estava se rendendo à revolução digital.

O desafio se tornava cada vez maior, o problema é que os usuários estavam resistentes ao modelo de compra: onde tinha que pagar por um álbum, não importa se em mídia física ou formato digital, e ele passa a ser seu. Já o Spotify mudou completamente esse contexto onde foi totalmente idealizado sob modelo de pagar para ter acesso, não a posse.

Em dois anos de existência, muitos investidores viram o projeto como inovador e a partir daí grandes empresas passaram investir no projeto gerando o convencimento de gravadoras e distribuidoras. Com vários sócios apostando no Spotify, a plataforma só começou a funcionar como streaming em 2008, apesar de ter surgido em 2006.

Em 2011 o aplicativo ficou totalmente conhecido, gravadoras como Universal, EMI Music e outras gigantes toparam participar do projeto onde realmente o serviço deslanchou e virou um fenômeno mundial, tanto para artistas como os usuários. No Brasil, o Spotify começou o seu sucesso em 2014.

Vitor Santos – jornalista graduado e roteirista de telenovela audiovisual

You may also like

More in:Cultura

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.