ArteCharles SouzaCulturaDestaqueLiteraturaNas Entrelinhas do ProscênioTeatro

O Centenário de Maria Clara Machado

História:

A cidade era Belo Horizonte, e o ano 1921, nascia em terras mineiras a notável Maria Clara Machado, aos quatro anos de idade seus pais Aníbal e Aracy e suas quatro irmãs Maria Celina, Maria Luiza, Maria Ana e Maria Ethel, mudou-se para Rio de Janeiro.

Seu pai Aníbal Machado, era escritor e crítico literário. Proporcionava encontros periódicos culturais em sua residência. Artistas de varias estirpe estiveram presentes nessa onda cultural em meados do século 20.

Clara cresceu ao meio de artistas e intelectuais, num ambiente propicio para a sua formação com a literatura e teatro, veja com quem ela conviveu nesse tempo: Albert Camus, Pablo Neruda, Murilo Mendes, Dante Milano, Vinicius de Moraes, Carlos Drummond de Andrade, Otto Lara Resende, Paulo Mendes Campos, Rubem Braga, João Cabral de Mello Neto, Adalgisa Nery, Di Cavalcanti, Goeldi, Guignard, Portinari, Fayga Ostrower, Glauco Rodrigues, Anna Letycia, Tonia Carrero e muitos mais.

Teatro:

No ano de 1950, Maria Clara obteve uma bolsa de estudos para teatro na França, aonde se manteve por um ano em Paris.

Ao retornar ao Brasil, estava com coração pulsando de vontade plena para estar nos palcos, até que percebeu que não poderia esperar ser convidada, em uma reflexão mais profunda, olhou firmemente para a boca de cena do palco do teatro e uma ideia aflorou.

Até que 1951, ela e alguns jovens fundaram o grupo de teatro amador O Tablado, onde passou a se dedicar, só que não exclusivamente, logo foi convidada a ensinar técnicas de improvisação no Conservatório de Teatro (Unirio); O lado professora de Maria Clara se evidenciou, em seguida, foram recebendo diversos outros convites para lecionar em outras escolas de teatro.

Dedicou com toda entrega apaixonada a companhia de teatro amador O Tablado, entre os anos de 1964 a 2000, a onde somente não foi diretora, mas também professora.

Deu aulas para diversas idades, mas teve a presteza exclusiva de ensinar pessoas da terceira idade, Maria Clara ajudou a formar centenas de atores, professores e artistas de teatro.

Dramaturgia Infantil:

Foi nos textos de peças teatrais infantis que Maria Clara Machado se consagrou, tendo um reconhecimento nacional e internacional, a sua habilidade com realismo fantástico e com contos para crianças, deixou à vista seu talento magistral para com elas. Entre suas peças infantis, destacam-se:

O Cavalinho Azul (1963),  A Bruxinha que era Boa (1958), A Menina e o Vento (1963), O Rapto das Cebolinhas (1954),Tribobó City (1971) e o clássico da dramaturgia infantil – Pluft, o Fantasminha (1955).

Referir à pessoa Maria Clara Machado é restabelecer uma conexão com seu mais doce e inocente jeito de ser criança, seu centenário consolida a sua importância para as próximas gerações, é a ternura de compreender uma historia de fantasia, que nos faz transportar para a uma imaginação nobre e com lições que levamos para a nossa vida toda.

Morte:

No ano de 2001, a octogenária Maria Clara Machado faleceu na cidade do Rio de Janeiro.

Memória:

“Não sei definir meu trabalho, eu crio a partir do zero, é vocação, nasci para fazer isso, as teorias ficam para os críticos. Um poeta não escreve assim por causa daquilo. Somos intuitivos, é uma questão de momento”. (Maria Clara Machado).

Charles Souza – Produtor Audiovisual e Jornalista

You may also like

More in:Arte

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *