A obesidade e o estresse

3 min. leitura

O estresse e a obesidade estão interligados de várias maneiras e podem influenciar significativamente a saúde física e emocional de uma pessoa. Aqui estão algumas das principais maneiras pelas quais o estresse pode contribuir para a obesidade:

Comportamentos alimentares: O estresse pode levar a mudanças nos padrões de alimentação, como comer em excesso, comer compulsivamente ou recorrer a alimentos pouco saudáveis como forma de conforto. Esses comportamentos podem contribuir para o ganho de peso e o desenvolvimento da obesidade ao longo do tempo.

Desequilíbrio hormonal: O estresse crônico pode levar a um desequilíbrio nos níveis de hormônios, como cortisol, insulina e grelina, que estão envolvidos na regulação do apetite, metabolismo e armazenamento de gordura. Essas alterações hormonais podem aumentar o risco de ganho de peso e obesidade.

Inatividade física: O estresse pode reduzir a motivação e a energia para se exercitar, levando a um estilo de vida mais sedentário. A falta de atividade física regular é um fator de risco importante para a obesidade e pode contribuir para o ganho de peso e problemas de saúde relacionados.

Comportamentos compensatórios: Algumas pessoas podem recorrer a comportamentos compensatórios para lidar com o estresse, como consumo excessivo de álcool, tabagismo ou uso de drogas ilícitas, todos os quais estão associados a um maior risco de obesidade.

Além disso, a obesidade em si pode ser uma fonte significativa de estresse físico e emocional. Pessoas obesas podem enfrentar discriminação, preconceito social, baixa autoestima e preocupações com a saúde, o que pode aumentar os níveis de estresse e contribuir para um ciclo de ganho de peso e estresse.

Por outro lado, o estresse pode ser uma resposta ao próprio peso corporal, criando um ciclo negativo em que o estresse contribui para a obesidade e a obesidade contribui para o estresse, criando um ciclo contínuo.

Para lidar com o estresse e prevenir a obesidade, é importante adotar estratégias saudáveis de enfrentamento, como exercícios regulares, alimentação balanceada, sono adequado, práticas de relaxamento, como meditação ou ioga, e buscar apoio emocional quando necessário. Ao gerenciar o estresse de forma eficaz, é possível reduzir o risco de ganho de peso e promover uma saúde melhor geral.

DRA. CAROLINA MANTELLI é médica, endocrinologista e metabologista e tem a missão de amenizar a dor física e da alma através do auto resgate.
Criadora do método “Calça Meta”, metodologia criada com o intuito de libertar seus pacientes de amarras de todos os traumas que envolvem o emagrecimento.

Cadernos
Institucional
Colunistas
andrea ladislau
Saúde Mental
Avatar photo
Exposição de Arte
Avatar photo
A Linguagem dos Afetos
Avatar photo
WorldEd School
Avatar photo
Sensações e Percepções
Marcelo Calone
The Boss of Boss
Avatar photo
Acidente de Trabalho
Marcos Calmon
Psicologia
Avatar photo
Prosa & Verso