ArteArte Viva em MovimentoCinemaCulturaFernanda MagnaniTV

Luiz Bertazzo, jovem ator e roteirista, faz história no cinema brasileiro

Quem não tem boas memórias dos filmes da sessão da tarde? Além de entretenimento, eles formavam a opinião de uma geração.

Foi pensando nisso que o ator e roteirista Luiz Bertazzo começou a desenhar um projeto de série que depois foi concretizado como um filme. O filme Alice Júnior foi aclamado em sua estreia internacional no festival Berlinare20 em Berlin.

Em 2011 houve um projeto criado pelo governo federal chamado Escola sem homofobia, que tinha como objetivo conscientizar jovens sobre direitos LBGTQ+. Essa iniciativa foi infelizmente negada por parte da sociedade.

Pensando nisso e de como a arte além de cultura tem um importante papel social, Luiz Bertazzo começou a dar voz a uma personagem transexual e seus conflitos.

De uma forma leve, doce e ao mesmo tempo profunda, ele narra o primeiro beijo de Alice Júnior. Um conflito natural de toda jovem, foi transcrito com a pureza que o primeiro amor merece.

Cartaz do filme Alice Júnior

E foi essa pureza que gerou tanta empatia ao personagem, que foi narrado sem estereótipo, possibilitando ao público acessar a humanidade e ter o conhecimento que a sociedade ainda nega.

Alice Júnior quebrou paradigmas e foi a primeira comédia romântica brasileira vivida por uma personagem transexual. Interpretada brilhantemente por Anne Celestino Mata, uma atriz transexual que também teve a oportunidade de se inserir na indústria cinematográfica.

O filme ganhou vários prêmios nacionais e internacionais. Já pode ser visto na Netflix e está concorrendo nesse momento a melhor filme nacional, melhor roteiro e melhor fotografia pelo site https://melhoresfilmes.sescsp.org.br/

O filme ainda tem uma linguagem contemporânea, que agrada e conecta quem assiste. Um filme para toda a família, que agrega conhecimento e desmistifica a ignorância. Tendo assim um papel fundamental na sociedade brasileira.

Mas falando de Luiz Bertazzo, esse ator que aos 17 anos chegou em Curitiba, vindo de Corumbá, cheio de talento e poesia.

Já era fã de Manoel de Barros, estudou Artes Cênicas e há 15 anos integra a companhia Senhas de Teatro. Dirigida por Sueli Araújo a cia pesquisa o teatro contemporâneo e novas formas de dramaturgia e linguagem.

Nascido no teatro, ele só poderia amar a palavra, apaixonado por diálogos, consegue transcrever a atmosfera da cena e construir histórias boas de se ouvir.

Além do palco, Luiz pode ser visto na série Irmandade da Netflix que logo inicia a segunda temporada. Além de outras produções cinematográficas, ele foi premiado como melhor ator pelo curta-metragem “ Aquele Casal” no ano passado.

O Luiz Bertazzo é aquele artista completo, que pesquisa, escreve, atua e abre caminhos. Se você ainda não viu Alice Júnior, reúna a família com pipoca hoje. E se ainda não teve a oportunidade de vê-lo no palco. Ele vai estar cada vez mais num cinema perto de você.

Por mais artistas empreendedores que além de pensar em si pensam no mundo. Obrigada por esse presente Luiz.

Reprodução Globo – Luiz Bertazzo na série Sob Pressão

O Brasil estava precisando olhar com amor para a mulher transexual, a vergonha de ser o país que mais mata elas no mundo vai acabar com obras como essa. Que nos salvam da ignorância.

Que a arte seja sempre um caminho de cura. Que jovens artistas tenham coragem de contar suas histórias e fazer um cinema independente. Como Luiz Bertazzo nos inspira e nos mostra que não há limites para o sonho.

Fernanda Magnani – Atriz, Professora de Teatro e Palestrante

You may also like

More in:Arte

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *