CulturaJanice MansurLiteraturaSensações & Percepções

Esperança e coragem?

Em nosso caso aqui, ter esperança não é se iludir, não é cruzar os dedos, carregar um amuleto no bolso que dê sorte ou algo que valha. A palavra esperança será encarada aqui como sendo algo que nos ajuda a nos munir de fé e nos impulsiona a tomar uma atitude para que o esperado se realize. Esperança é sonhar, e, nesse sentido, é algo que vem de dentro. E, por este ângulo, pode significar o sentimento de quem vê como possível algo e confia na realização daquilo que deseja. Porém, ela depende de mim.

Por outra perspectiva, ter esperança se relaciona com esperar no sentido de desenvolver expectativa, aquilo do qual ou aquele de quem se espera algo, algo em que se deposite uma promessa implícita, melhor dizendo, algo que vem de fora e demanda o outro.

Mas não! Esperança não tem nada a ver com o que espero que venha de fora, com o que desejo que o outro me dê, com a forma com a qual o outro me trate ou com algo que está lá no mundo me esperando. Não! Definitivamente, esperança é algo construído por mim e em mim.

Você já perdeu a esperança algum dia? Consegue perceber que ela não tem a ver com o significado que os outros dão a ela?

Eu não perco a esperança na vida, por exemplo, eu perco a esperança de viver, é diferente! Isso acontece porque eu não estou contando com os recursos que tenho dentro, eu os perdi pelo caminho. A vida existe e quando perco a esperança de viver, perco a esperança da ação. Nesse caso, não perco a esperança em, mas perco a esperança de praticar, praticar o desapego, praticar uma atitude, praticar o caminhar, praticar o viver.

E, por isso, minha sugestão para hoje é pensarmos juntos que a esperança não vem do horizonte que surge a minha frente, não vem de como o outro me recebe ou trata, mas vem da minha atitude perante mim mesma(o). Posso não estar muito bem comigo, isso é outra história! Daí a esperança me falta a mim mesma(o), ela me falta por que é da minha falta, não a tenho dentro. Como já disse acima, eu a perdi ou não a construí. Mediante esse raciocínio que você já deve estar achando muito louco, vem outro, de que esperança de viver, ou de algo que construo por dentro, tem a ver com coragem.

Mas, e o que coragem tem a ver com esperança?

Para seguirmos adiante é preciso coragem, porque a vida é um campo de batalha e, queiramos ou não, é preciso lutar. Não lutar com o outro ou contra ele, é preciso lutar a favor de mim mesmo.

Diz Paulo Freire que “É preciso ter esperança, mas ter esperança do verbo esperançar; porque tem gente que tem esperança do verbo esperar”. Entretanto, nós aqui, já não estamos mais pensando nesta última hipótese, porque esperança de esperar é espera, e isso nós não queremos mais! Não, definitivamente não! Mas Freire continua dizendo que para ele a esperança vem do verbo “Esperançar” que é se levantar, ir atrás, construir e não desistir! Todavia, acrescento que mais ainda do que levantar e ir atrás do que se deseja, de construir e lutar, lutar e não desistir, é necessário criar a coragem para manter a chama da esperança acessa, para iniciar o movimento e dar continuidade a ele.

É a coragem que dá mão à esperança, é a coragem que me faz levantar, sacudir a poeira e seguir adiante. E quando a coragem começa a querer a ir embora, eu vou perdendo as forças e esmoreço, é aí que a esperança volta e aparece renovada em meu coração. Esperança é o cheiro da torta de maçã na janela e a coragem é a faca amolada que me permite tirar um pedaço de lá e continuar acreditando que há outros pedaços que posso comer depois.

Coragem e esperança são construídas no meu interior, no meu encontro comigo mesma(o), no que eu posso lidar com o que me falta ou me resta, como meus excessos e minhas mazelas.

Não acredito que nós não possamos caminhar em frente com coragem e esperança, acredito sim que em alguns momentos não conseguimos ir sós. Sozinho às vezes é doído demais. Então, cerque-se com o que você tem de melhor, com quem te ama, com parentes, amigos, vizinhos. Até com alguns “estranhos” que aparecem e nos dão colo na hora certa.  Com o divino que habita dentro e fora. Com terapeutas, com pessoas, com animais, com plantas… enfim, com tudo o que acalenta e dá vida, calor e energia.

E você? Bora criar sonhos e arregaçar as mangas com coragem na esperança de realizá-los?
Que 2021 possa trazer nossa coragem de volta com o intuito de dar uma “forcinha” para a esperança, afinal não somos máquinas e precisamos de alento.

 Beeeiju no coração e na alma.

Janice Mansur é poeta premiada, professora, revisora de tradução e criadora de conteúdo.

Visite a autora também no site do Jornal Notícias em Português (Londres) e na Academia Niteroiense de Letras.
Canal do Youtube: BETTER & Happier
Instagram: @janice_mansur

You may also like

More in:Cultura

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.