BelezaCulturaDestaqueNegóciosSustentabilidade

Confira dicas de especialista para se transformar em um orquidófilo

De acordo com os dados divulgados pela Ibraflor – Instituto Brasileiro de Floricultura, o Brasil conta atualmente com mais de 8 mil produtores de flores e plantas, que juntos cultivam mais de 2.500 espécies com cerca de 17.500 variedades, o que faz o mercado de flores contribuir de forma significativa com a economia brasileira. O setor é responsável por cerca de 209 mil empregos diretos e aproximadamente 800 mil indiretos, sendo o segmento de “produção de flores em vasos” o que mais contribui dentro deste cenário, representando 58%.

E falando em flores em vasos, a planta que está no topo da lista entre as mais populares são elas, as orquídeas (em especial as Phalaenopsis). Elas são tão populares que até os seus cultivadores ganharam um dia especial, que foi comemorado agora em junho, “o dia do orquidófilo” (22), referindo-se a alguém que se dedica ao cultivo de orquídeas ou simplesmente aqueles que a admiram e colecionam.

Marcos Feliciano, que é engenheiro agrônomo da Forth Jardim, uma empresa especializada no cuidado com as plantas, reforça que um dos motivos da espécie despertar o interesse do público é tanto pela sua beleza, quanto a possibilidade de investir em novo negócio rentável.

“Só no Brasil, que é uma país com uma grande diversidade de orquídeas, segundo o World Checklist of Selected Plant Families, existem3180 espécies nativas listadas. Uma orquídea que se popularizou entre os amantes de plantas foi a Phalaenopsis, que é popularmente conhecida como “Orquídea Borboleta”, devido ao formato de suas flores. Ela é uma orquídea de fácil cultivo e floresce em algumas regiões mais de 1 vez por ano”.

O Engenheiro Agrônomo ainda reforça que além da Phalaenopsis, várias espécies podem ser encontradas na natureza, no entanto, vale lembrar que muitas das catalogadas já estão na lista de espécies ameaçadas de extinção.

“É importante lembrar que mesmo sendo um admirador, não podemos sair por aí retirando-as da mata, é claro. Além disso, hoje também não precisamos fazer isso para ter plantas maravilhosas, pois os produtores já possibilitam isso “criaram novas opções”, a partir do cruzamento entre espécies, criando variedades, que algumas vezes podem até ser mais belas do que as espécies de origem”.

A orquídea é uma das opções mais escolhidas para presentear. Isso muito por conta de suas lindas flores que podem ser em formatos e colorações diferentes. No entanto, é importante ressaltar que a maioria delas florescem apenas uma vez por ano. É exatamente neste ponto que está o primeiro erro cometido por quem é “leigo no assunto”, pois muitas pessoas que ganham uma orquídea acabam abandonando quando ela deixa de ter flor, até mesmo por achar ela morreu.

“Cultivar orquídeas pode até não ser uma jardinagem tão simples, mas com um pouquinho de dedicação, usando as técnicas, ferramenta e os produtos certos é possível chegar no resultado desejado. O ápice para a maioria dos cultivadores é, sem dúvida, a fase de floração, por isso quando você consegue fazer isso acontecer, por mais que seja algo que vai permanecer por poucos semanas ou dias, a beleza que ela exibe faz com que o trabalho tenha valido a pena”, comenta Marcos Feliciano.

O especialista dá algumas dicas para aqueles que desejam começar a fazer parte da comunidade dos orquidófilos:

– Cuidados o ano inteiro:

Assim como nós, as plantas não sobrevivem apenas com água, elas precisam de alimento para crescer e se desenvolver. A fase da floração é desgastante para a planta e se ela não estiver forte o suficiente para atravessar esse período, simplesmente não irá florir naquele ano para se poupar. Por isso é importante durante o ano todo administrar os adubos, fazer as regas na frequência certa, manter o substrato saudável e fazer os transplantes sempre que necessário. Dessa forma você está preparando sua planta para florescer.

– Época de floração:

Algumas espécies dão flores em janeiro, outras em junho, outras em setembro, mas essa não são datas exatas. A época de floração pode atrasar ou adiantar dependendo de fatores como os cuidados e o clima da região. É bom também conhecer a espécie que irá cultivar e qual se adapta melhor à sua região.

Um caso comum é de muitas pessoas da região Norte e Nordeste do Brasil reclamarem que compram a orquídea Cymbidium com flor e nunca mais floresce. Esse tipo de orquídea precisa de temperatura baixa para florescer, o que é raro de acontecer nessas regiões.

– Durante a floração:

Certos incômodos podem fazer com que a floração não aconteça, por isso nunca faça transplante de um vaso para outro durante essa fase, ela pode abortar as flores para que se adapte ao novo vaso. Evite também borrifar água ou adubos diretamente nas flores, eles podem facilitar o aparecimento de fungos e prejudicar seu desenvolvimento. Lembre-se que quanto melhor você cuidar das suas flores, maiores serão as chances de você tê-las por perto por mais tempo.

É comum querermos harmonizar as orquídeas sempre com recipientes tão bonitos quanto elas, como vasos e cachepots, mas é preciso ter cuidado para não afogá-las, pois ao regar a água fica acumulada e as raízes não respiram, o que faz a planta apodrecer e morrer. Uma dica para evitar este tipo de acidente é regar elas em uma pia ou taque, deixando escorrer bem a água, para só assim voltar a colocá-la no cachepot.

– Depois que as flores se forem:

Quando acaba a fase de floração é hora continuar com a adubação e rega da sua planta. Mas o que fazer com a haste, o cabinho que sobrou da flor? Devo podar ou não? Há os que defendam e os que sejam contra a poda da haste, mas o fato é que existem casos em que as duas ações seriam recomendadas. Se a haste está visivelmente seca, e não há chance de uma nova floração ali, é mais indicado podá-los bem rente ao substrato. Mas se ela ainda está verde, visivelmente viva, deixe a haste onde está ou pode no terceiro nó contando de baixo para cima, assim ela poderá florir novamente, como é o caso das Phalaenopsis.

O Engenheiro agrônomo também reforça que existem alguns cursos específicos para que os novos orquidófilos entendam cada detalhe sobre os cuidados que a espécie exige. A própria Forth Jardim tem uma opção gratuita que atende tanto os amadores, quanto os profissionais, o “ABC das Orquídeas”. Disponível na “Academia Forth Jardim”, um serviço disponível dentro do site da empresa, que para ter acesso basta fazer um cadastro simples, o módulo destinado aos cuidados com as orquídeas conta com 12 vídeos que explicam passo a passo sobre o manejo da espécie: https://forthjardim.com.br/academia-forth

Sobre a Forth Jardim

A Forth Jardim é uma empresa especializada no cuidado com as plantas, focada principalmente no segmento de Home & Garden e oferece soluções para finalidades específicas. Atuando há 23 anos, a marca é hoje uma das líderes de mercado e contribui de forma ativa para o crescimento do setor. A empresa conta com uma fábrica própria localizada na cidade de Cerquilho (SP), possui mais de 90 colaboradores e está presente em mais de 4.000 pontos de vendas em todo o Brasil. Em 2020, impulsionada principalmente pelo aumento do número de pessoas que passaram a se interessar em cultivar plantas em casa, a empresa aumentou o faturamento em 50% e mantém crescimento médio de 20% ao ano.

@forthjardim_oficial

https://forthjardim.com.br/

You may also like

More in:Beleza

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.