CulturaInternetMarketingNegóciosTecnologia

7 dicas para produzir conteúdo pet nas redes sociais

As redes sociais estão em ascensão e ganhando cada vez mais espaço em nosso cotidiano, com isso, os pets conseguiram seu lugar e criaram um nicho de influencers diferenciados. O Brasil está entre os maiores mercados do mundo para pets, encerrando o ano de 2020 perto de R$40,1 bilhões de faturamento, segundo o Instituto Pet Brasil.

Há tutores que se dedicam somente à administração do perfil de seu pet e faturam até R$80 mil por mês, logo, essa taxa de engajamento tende a crescer, pois os tutores enxergam a oportunidade do marketing digital em seus animais, e os posts vão além do entretenimento. 

Pensando neste mercado em ascensão, Fernanda Rabaglio, CEO da Matilha Brasil, empresa especializada em ensinar pets a se tornarem influenciadores digitais, traz 7 dicas para produzir conteúdo, que pode engajar pets e marcas: 

1) Se atente à qualidade das fotos e vídeos

A primeira impressão se dá devido ao post, logo, é necessário que tenha qualidade. O impacto visual é fator decisivo para o público continuar vendo a sua publicação, ou continuar descendo o feed. Por isso, pense numa produção que traga qualidade. Fotos e vídeos em baixa resolução, por exemplo, mal posicionados e iluminados, tendem a chamar menos a atenção. 

2) Estude e faça análises das produções de conteúdo

A maioria dos tutores começa a administrar o perfil pet como uma brincadeira, por isso, não tem base técnica e estudo para entender que o engajamento vai além de fotos de carinha fofa e um “bom dia”. Portanto, é necessário que os tutores compreendam que o mercado pet é uma oportunidade para patrocínios.

Entretanto, muitas vezes é escolhido o caminho mais fácil e pouco eficaz, que vai da automação aos grupos de engajamento, deixando de lado o estudo e análise da produção de conteúdo e das plataformas. Não é à toa que quem se dedica e estuda, se destaca. 

3) Tenha conteúdos frequentes

Publicar ao menos uma vez por dia no formato tradicional da plataforma e pelo menos 5 stories ao longo do dia, é um pacote básico para iniciantes. É importante atentar-se a conteúdos estratégicos, para que a ideia inicial dos posts não se perca, além de pensar em conteúdos que façam com que os seguidores fiquem mais tempo navegando, consumindo e interagindo.

4) Tenha conteúdos exclusivos para Instagram e TikTok

Como são plataformas completamente diferentes, o conteúdo também muda – mesmo sendo assuntos similares. Porém, existe a “Derivação de Conteúdo”, que nos permite adequar, ajustar e aplicar a mesma pauta em vários formatos, inclusive dentro da mesma plataforma, como feed, reels e stories, dentro do Instagram. 

Por isso, evite postar a mesma coisa em todas as redes sociais e crie derivações para cada uma delas, entendendo como o público reage em cada plataforma. 

5) Utilize gatilhos do momento

Ao surfar a onda de um meme ou uma trend, normalmente o objetivo é o crescimento de seguidores e aproveitar o gatilho do momento, que acontece ao se destacar na avalanche de conteúdo sobre o tema. Contudo, é importante entender que não adianta crescer a qualquer custo, mas as trends são incríveis e devem ser usadas com cautela, desde que seja possível relacioná-la com seu nicho e conteúdo. 

Caso contrário, você pode atrair um público errado que, ou não vai te seguir, ou vai seguir e se tornar o famoso seguidor fantasma, porque só gostou daquela trend, mas não se importa com seu assunto de fato. Vemos muito disso acontecer com perfis que adaptam todas as trends para o pet e crescem com esse conteúdo. Mas não criam conexão com o público, pois não entregam valor de fato.

6) “Desapegue” de aparatos tecnológicos

No começo, não é necessário câmera profissional e domínio de Photoshop, mas claro que isso pode ser relevante na medida em que o perfil cresce. Com um celular legal e aplicativos de tratamento de imagem (gratuitos, inclusive) você já pode produzir conteúdo de qualidade. Você pode aproveitar cenários urbanos, de casa e usar a luz natural. No fundo, para mandar bem nas redes sociais com seu pet, você precisa essencialmente de 1 pet, 1 celular, noções de foto e vídeo, além de criatividade. 

7) Traga personalidade para o seu conteúdo

Sabe quando você lê uma legenda de um post e parece que está ouvindo aquilo como se fosse um personagem falando? Isso é o que chamamos de “personalidade” para o conteúdo, inspirando e divertindo o público. Exemplos práticos que vemos acontecendo são de perfis, com personagens diferentes como @porquinhojerfiso, até lideranças como @arthur.pastoralemao, passando pelos comediantes da @cacausando, e pela irreverência do Leon dos @ursinhoschochow

No fundo, a persona pode ser pet, mas ela está sempre aliada a um arquétipo, uma linha editorial bem definida que acompanha as crenças e objetivos do perfil.

Sobre a Matilha Brasil

Primeira produtora de conteúdo exclusivamente pet, a Matilha Brasil tem três anos de experiência com marketing digital de marcas e influenciadores do setor. Fundada por Fernanda Rabaglio, a empresa é destaque no mercado por implementar melhorias significativas na relação entre empresas e criadores. Atualmente, oferece produção de conteúdo e estratégia para marketing de influência para o mercado pet e possui a comunidade Academia da Matilha, que já alcançou a marca de mais de 400 assinantes em todo o país.

You may also like

More in:Cultura

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *